Adaptações e paródias

Em postagens anteriores, fiz uma análise das adaptações de filmes como Rapunzel, e também fiz uma introdução sobre como as histórias passam por adaptações, deixando de ser orais em épocas medievais, até serem transcritas para livros e posteriormente virarem filmes como nós conhecemos.

Na postagem introdutória, falei de como as histórias passavam uma “moral da história” e, pela mudança de contexto histórico e social, adaptações foram sendo necessárias a fim de que estas se “adaptassem” melhor a como a sociedade se apresenta.

Agora, será que adaptações tem que ser necessariamente para filmes ou em forma escrita? É muito comum vermos na internet adaptações em forma de desenhos, muitas vezes denunciando problemas na nossa sociedade ou mesmo evidenciando aspectos nos filmes que não tínhamos visto antes, ou nosso olhar crítico deixa passar em meio a trama que acostumamos a ver em nossa infância, quando não tínhamos uma visão tão crítica dos problemas sociais. Como apontei no texto da adaptação do conto Rapunzel para o filme Enrolados, as adaptações atuais mostram uma nova perspectiva da cultura contemporânea, assim como uma mudança e desconstrução da identidade antes vista.

A seguir coloquei algumas fotos que denunciam aspectos vistos nos filmes e que, muitas vezes, podem passar desapercebidos.

200482_3_600.jpeg

“Hamlet com animais”, alusão a adaptação que o filme faz do conto Rei Lear, de Shakespeare.

200482_5_600.jpeg

“Estereótipos Árabes”

200482_7_600.jpeg

“Makeovers consertam tudo”

200482_8_600.jpeg “Cara legal termina por último”, é uma expressão em inglês que se refere a um cara legal, é amável e faz tudo por uma mulher, mas nunca consegue ficar com ela.

200482_9_600.jpeg

“Mude por seu homem”, nesse caso, existe a crítica da Ariel ter que mudar (se tornar humana) para ficar (agradar) com o seu príncipe.

xhonest-disney-movies.jpeg.pagespeed.ic.yz0rr8M8rf

Aqui, colocam o fato do filme abordar, embora talvez inconscientemente, o fato da Fera ter Síndrome de Estocolmo (Síndrome de Estocolmo é o nome dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor.)

Anúncios